Diário de Viagem: Montevidéu – Uruguai #2dia

Como a gente só tinha dois dias para conhecer Montevidéu, queríamos aproveitar o máximo possível. A cidade é pequena e os pontos turísticos são poucos, então dois dias são suficientes para conhecer as principais atrações. Porém no final ficamos achando que três dias seria o ideal, até para comprar algumas coisas que ficam faltando e aproveitar melhor alguns lugares. 

No segundo dia resolvemos voltar no mercado para comprar suvenires e doce de leite, e aproveitamos para almoçar por la mesmo.
Bus Turistico

Depois pegamos o Bus Turísticos para dar uma volta geral na cidade. A dica é pegar o ônibus no primeiro dia, porque ele passa por todos os pontos turísticos da cidade, é legal para você ter uma noção e ver o que vale a pena parar para conhecer. No nosso caso, como ficamos hospedados no centro e muitos pontos ficam por lá, decidimos fazer primeiro essa parte. E depois pegar o bus e fazer as atrações mais distantes. 

Esse segundo dia foi mais para ver a cidade. Fiquei muito impressionada com montevidéu, cidade muito limpa, organizada, os prédios antigos são muito bem preservados, bem cuidada mesmo, muito agradável. 


Orla Montevidéu


Além dos prédios históricos lindos, Montevidéu também tem orla, e bem grande por sinal, mas não é mar, a cidade fica as margens do Rio da Prata.

Esse dia foi super corrido para gente, queríamos parar em outros lugares, mas optamos fazer duas paradas. A primeira foi no prédio da prefeitura que fica na Av. 18 de Julho, la tem uma vista maravilhosa da cidade. Observamos que as coisas na cidade abrem muito tarde, não sei se é essa época do ano, o dia ficava claro muito tarde, sete horas da manhã ainda estava bem escuro, e isso atrapalhou um pouco nossa programação. 

Prédio da Prefeitura

Vista Mirador
Mirador

A segunda parada foi no Estadio Centenario. O marido adora futebol e esse tipo de passeio não pode faltar. Eu nem gosto muito, mas como gosto de conhecer tudo, acabo indo numa boa. O estadio estava em reforma e por isso não entramos no museu, somente no campo. Não tem nada demais, ele é muito simples, imaginei que fosse maior e bem mais cuidado, até porque ele bem famoso.

Estádio Centenario 
Estádio Centenario 
Estadio Centenario


Depois pegamos o Bus Turísticos, lembrando que ele passa de hora em hora nas parada, e fomos conhecer o Shopping Punta Carretas. Quem está acostumado com os shoppings gigantescos do Brasil vai ficar decepcionado. Apesar de ter uma arquitetura linda, ele é bem pequeno e tem pouquíssimas lojas conhecidas.


Tomamos um café, depois pegamos um táxi até a Fonte dos Cadeados na Av. 18 de Julho, ( Pagamos em torno de R$12,00 pela corrida). A fonte fica quase de frente para o prédio da Prefeitura, onde tem o Mirador. Você pode aproveitar e matar as duas coisas. Quase não andamos de táxi, mas até que achei bem em conta.

Voltando a fonte, ela fica no meio da calçada, e fiquei bem surpresa que não tinha ninguém vendendo cadeados. Gente, como assim? Ou seja, caso queira deixar seu cadeado lá com seu nome e o do boy juntos, já leve de casa.  

Fonte dos Cadeados

Depois dessa maratona do segundo dia, comemos um sanduíche na La Pasiva. É uma especie de bar lanchonete que tem em todo lugar por lá. Jantamos em uma pertinho da fonte, e como estávamos perto do hotel voltamos andando .
No próximo post tem Punta del Este. Espero vocês!

Siga o blog nas Redes Sociais: FACEBOOK | INSTAGRAM | TWITTER

Diário de Viagem: Montevidéu – Uruguai

Para nossa segunda viagem internacional, eu e o marido queríamos ver neve, e claro, ir para um lugar que não fosse tão caro. Então decidimos por Bariloche com uma passada rápida em Buenos Aires. Só que quando fomos fazer as pesquisas de passagens, hotéis e etc, descobrimos que era tudo muito caro e acabamos tendo que adiar nosso encontro com a neve e mudar um pouco nosso roteiro. Dai que um amigo do Octávio sugeriu ir para o Uruguai e fazer a travessia pelo rio da prata até Buenos Aires na Argentina, e foi maravilhoso. Nós amamos a viagem e hoje vou começar a contar para vocês como foi tudo.
Vista do Mirador – Prédio da Prefeitura

A cidade é lindíssima, com vários prédios históricos, e uma atmosfera bem europeia. Nessa época do ano também é inverno por lá e faz bastante frio (cerca de 10˚C e pode fazer até 5° durante a noite) chove e venta muito. Tivemos até sorte porque não choveu nenhum dia.
Palácio Salvo – Plaza Independencia – Montevidéu

Saímos de Recife cedinho no dia cinco desse mês, paramos em São Paulo e de la seguimos para Montevidéu. Chegamos lá no finalzinho da tarde, e pegamos o serviço de van compartilhado que tem logo na saída ( Site Serviço de Van ) Demora mais a chegar porque vai parando, mas é bem mais em conta que pegar táxi. Ficamos no hotel Urban Express, no centro, pertinho da Plaza Independencia, e de outros principais pontos turístico da cidade. Hotel simples, porém agradável e muito bem localizado. Fizemos check in e já fomos logo jantar, estávamos exaustos e queríamos descansar para começar aproveitar. Jantamos em um restaurante pertinho do hotel, chamado Danúbio Azul. Comida boa, porém cara.


No dia seguinte, acordamos cedo, tomamos café e fomos fazer a trocar do dinheiro. Pegamos a dica de uma casa de Cambio chamada Bacacay, pertinho do hotel na Avenida 18 de julho. Lá em quase todo lugar aceita real, mas recomendo trocar o dinheiro, porque eles normalmente aceitam de acordo com o câmbio do dia, e você pode sair perdendo, já que o valor da moeda oscila muito. Depois seguimos para conhecer os pontos turísticos do centro.

*Pontos Turísticos que visitamos nesse 1 dia:
#Plaza Independencia,
#Teatro Solis
#Puerta de la Ciudadela
#Plaza Constitución
#Catedral Metropolitana de Montevidéu
#Mercado del Puerto
#Museo del Carnaval

Começamos pela Plaza Independencia. Ela fica na divisa entre o centro de Montevidéu e a Ciudad Vieja. Antigamente existia uma muralha que dividia estas duas áreas, e um pedaço dela ainda existe e está no local, a Puerta de la Ciudadela. No centro da praça tem o momumento de um homem em cima de um cavalo, é o Mausoleo General Jose Artigas, esse local guarda as cinzas do militar que foi um herói nacional. Por lá também é possível ver o Palácio Salvo.
Puerta de la Ciudadela

Seguimos pela rua Sarandí  até a Plaza Constitución, ela liga uma praça a outra. Nela tem várias lojas, cafés, e até uma feirinha de artesanato e suvenires. Lembrando que ela  é somente para pedestre. A Plaza Constitución fica na parte mais antiga da cidade, em frente a Catedral Metropolitana de Montevidéu, e é a mais antiga da cidade. 

Rua Sarandí

Plaza Constitución

Catedral Metropolitana de Montevidéu – Plaza Constitución

Depois continuamos andando até o Mercado del Puerto. Não é muito perto, mas o clima é agradável e dá para ir caminhando numa boa. Os arredores do mercado é muito charmoso, não tem aquele assedio tipico desses lugares. Na parte de dentro tem vários restaurantes e algumas lojinhas de suvenires. É muito limpo, é mais para turista visitar. Seguindo dicas da internet, almoçamos no El Palenque, ele é conhecido por ser tradicional e pela boa comida. E sem dúvida foi a melhor carne que já comi na vida.
Mercado del Puerto

Mercado del Puerto

Antes do almoço demos uma passada no Museu do Carnaval, que fica do lado do mercado. O museu é bem simples, não tem muito o que ver, mas é legal para conhecer.
Depois do almoço compramos o ticket da passagem do bus de turismo, que queríamos fazer no dia seguinte. Tem uma parada com quiosque pertinho do mercado (Site Ônibus Turístico). Retornamos andando até o Teatro Solís que fica pertinho da Plaza Independencia. Ainda chegamos a tempo de fazer a visita guiada no horário de 16h00. A visita é paga, porém não pagamos porque fomos na quarta-feira, e nesse dia é gratuita. Para ser sincera não achei nada demais. É possivél escolher um guia que fala português, ele leva você para dar uma volta no teatro e enquanto isso vai contando um pouco da historia dele, e dura trinta minutos mais ou menos.
Teatro Solís

Teatro Solís
Saindo do teatro seguimos para dar uma volta na avenida 18 de julho e tentar achar um local para jantar, e achamos uma pizzaria que fica de esquina, chamada The Manchester. Pedimos pizza individual, que por sinal era muito bem servida e super gostosa. Ela fica acho que no mesmo quarteirão do cambio Bacacay. Nesse dia fizemos tudo andando, andei tanto que fiquei com o pé dolorido. Mas eu ainda prefiro assim, a gente consegue desbravar tudo e conhece melhor o lugar visitado.

Gente vou fazer os posts por dia, são muitas informações, e junto com as fotos o post fica enorme e acaba ficando cansativo.

Espero que curtam, e aproveitem as dicas! 

Siga o blog nas Redes Sociais: FACEBOOK | INSTAGRAM | TWITTER

Diário de Viagem: Fortaleza

Partimos de carro quinta-feira passada, 5hrs da manhã, eu, marido e mais um casal de amigos, e a filha deles rumo a Fortaleza. Estávamos combinando essa viagem desde o final do ano passado, eles queriam muito dar de presente de aniversário para a filha Larissa um dia inteirinho se esbaldando no Beach Park, e o principal objetivo da viagem era esse. Seguimos quase que direto, fizemos apenas duas paradas rápidas e por volta de 14:30 chegamos a capital Cearense. Para quem não sabe, são 800km de Recife até lá.

Ficamos em uma pousada na Praia do Futuro, mas não vou recomendar, ela não agradou muito. Chegamos, fizemos o check in, guardamos as malas e fomos dar uma volta e procurar um restaurante para almoçar. Acabamos na Praia de Iracema, e comemos por lá mesmo. Comida simples e com preço razoável, o restaurante chama Barcelona e fica próximo a estatua do aterro.

Nas Duas fotos com a amiga Priscila, só na cervejinha. No almoço da quinta, depois que chegamos, e no dia seguinte, mesmo com chuva, fomos para a Praia do Futuro.


A noite fomos na feirinha da Beira-Mar e depois jantamos na Pizza Hut, que fica quase de frente


No sábado passamos o dia no Beach Park. Para quem não conhece, ele é o maior parque aquático da América latina, mas já aviso, se você é do tipo que não curte forte emoções, não vale a pena. O parque é basicamente piscinas e toboáguas, e a maioria deles são bem altos. Achei o valor da entrada super alto, e acho que não vale a pena pagar para tomar banho de piscina. Valor adulto R$170,00 e criança R$160,00

O jantar foi em um restaurante chamado Assis, O Rei da Picanha. É um lugar simples, mas a comida é muito boa, barata, e o local é bem agradável. Dica: o feijão verde com nata é delicioso!


Nosso domingo foi bem agitado. Pela manhã, fomos para o Mercado Central, é um lugar bem legal para quem gosta de coisa regional, e é uma ótima opção para comprar lembrancinhas. Tem de tudo um pouquinho, roupas, calçados, redes, chapéus, e muito mais, bem no estilo artesanal. O local é enorme, conta com estacionamento, e área de alimentação. Fica na Praia de Iracema, já chegando no centro da cidade.

Depois teve mais Praia do Futuro, despedida daquele caranguejo maravilhoso, amo aquele lugar!!!


Depois da praia fomos ao Jardim Japonês. Lugar lindo que fica na orla da Beira Mar, é um jardim  todo caracterizado com artigos que retratam a cultura japonesa, é ideal para ir no final da tarde, por causa do sol. Rende belas fotos, fica pertinho da famosa feirinha da Beira Mar.

Finalizamos o dia no Shopping Iguatemi, e jantamos por lá mesmo.

 Segunda-feira foi dia de voltar para casa, mas antes uma passadinha para conhecer Canoa Quebrada. Eu já tinha ido a Canoa, porém numa passagem rápida. Dessa vez tão rápida quanto a outra vez, mas quero voltar para passar pelo menos um final de semana. Almoçamos em uma barraca na praia chamada Casqueiro, e super recomendo. Comida muito gostosa, antedimento excelente, um precinho ótimo, e a vista é incrível!

E então, gostaram? 

Siga o blog nas Redes Sociais: FACEBOOK | INSTAGRAM | TWITTER

Compras de Viagem – Chile

Não comprei quase nada nessa viagem, até porque o Chile não é um destino de compras. Os preços de lá são bem parecidos com os do Brasil, então não vale a pena sair comprando tudo que ver pela frente. Eu estava mais ansiosa pelo Duty Free
Nunca tinha feito nenhuma viagem para fora do Brasil e fiquei naquele empolgação de comprar algumas coisas da velha listinha de desejos, que são o olho da cara por aqui. Porém, confesso que fiquei bem decepcionada! Muitas coisas não são tão baratas assim, pelo que eu vi e segundo dicas de pessoas próximas, e pesquisas na internet, o que vale mesmo a pena comprar são perfumes e bebidas.
Tinhas planos de comprar algumas maquiagens, mas não achei nada do que eu queria. O primeiro que fomos foi em São Paulo, achei bem pequeno, muito apertado e não tinha muita coisa. Vi preço de algumas coisas e anotei, aliás, a dica é essa, anotar tudo na ida e comprar na volta. 
Chegando em Santiago, fomos em outro, esse já achei melhor, era um pouco maior, e tinha mais opções. Até me arrependi de não ter feito minhas compras lá… mas enfim. Na volta passamos por mais dois diferentes, no embarque em Santiago, e outro na chegada em São Paulo. Achei os dois parecidos.
Eu fiquei sabendo através das minhas pesquisas, que esses produtos do John Frieda estavam pela metade do valor aqui do Brasil por lá, e já tinha comprado por aqui mesmo esses da embalagem verde e tinha amado, já comprei umas duas vezes. Então corri no supermercado Jumbo do shopping Costanera Center  e comprei três conjuntinhos desses. Aproveitei para testar esse amarelinho para cabelos loiros, e me apaixonei mais ainda, acho que ele funcionou ainda melhor no meu cabelo. Amor eterno por esses produtos!
Essas foram minhas comprinhas no Dutty Free. Já tinha muito tempo que namorava esses dois perfumes, ia naquelas lojas de perfume importado, sentia o cheiro, ensaiava comprar, mas o preço acabava me fazendo desistir. Então deixei eles na listinha, e no momento propicio arrematei. Esse Dolce & Gabbana é paixão antiga. E como cheira bem esse perfume, cheiro de riqueza pura, eu tenho a pena de usar! Sem falar da embalagem, que é lindíssima! O Mademoiselle da Chanel é desejo recente, senti o cheiro uma vez e me apaixonei! Ele é muito cheiroso, e fixa muito na pele, nas roupas…  Comprei os dois de 30ml, gosto muito de perfumes e adoro ter vários, então prefiro os tamanhos menores. Os dois saíram mais ou menos R$350,00. Também tava querendo muito uma base rica, na verdade eu queria a perfection lumière da Chanel, mas tava em falta. Então eu resolvi comprar essa, que também já ouvi falar muito bem. Ainda não usei, mas estou ansiosíssima!
Também nas minhas pesquisas, descobri que no Chile tem Forever 21, e fiquei mega curiosa para conhecer. Amei a loja, super organizada, roupas super limpas e com informação de moda. Ela é bem no estilo da Zara do Brasil, os preços são parecidos e o acabamento das roupas também. Só comprei essas duas peças, tinha muita roupa ainda de frio, jaquetas e muita malha, o que não combina muito com o clima do Brasil. 
Sempre quis uma blusa com essa língua, e achei essa camiseta básica bem legal. Eu gosto muito de camisas, e na hora que vi essa com estampa xadrez eu já gostei, provei, e ela vestiu super bem. O xadrez rico tá super em alta né, então vou usar horrores!
No mais, comprei suvenir aqui para casa, vinhos e azeite.

Real Life: Praia dos Carneiros

Esse ano para mim foi maravilhoso, no sentindo de viagens! Quem me acompanha aqui no blog e me conhece pessoalmente, sabe que eu amo viajar. Mas não é viajar por viajar, eu gosto da experiência de conhecer um lugar novo, contato com o jeito de ser local, a comida, os costumes, e tudo que envolve a viagem. Sempre que fico sabendo que vou viajar, corro para internet para fazer diversas pesquisas. Eu gosto, gosto muito! Gosto daquela coisa de fazer a mala, escolher as roupas, amo aquela atmosfera de aeroporto, parece besteira, mas pra mim é muito bom! Esse ano eu tive a oportunidade de conhecer alguns lugares, alguns bem perto daqui, mas pra mim não tem isso, se fala que é um lugar que eu não conheço, eu já fico feliz.

Semana passada conheci uma praia maravilhosa aqui de Pernambuco. Passei horas me perguntando como eu ainda não tinha ido naquele paraíso, e também refleti sobre como a gente não conhece o lugar onde vive.

A Praia dos Carneiros fica a uns 100 km daqui de Recife, e é coisa de louco aquele lugar, linda, paradisíaca, não sei se foi o dia que eu fui, que era uma quarta-feira, mas ela parece ser aquelas praias que muita gente ainda não descobriu. Calma, limpa, além da beleza, ela me impressionou pela preservação.

O acesso não é difícil, você vai pela pista normal, e quando vai se aproximando já é possível avistar os coqueiros, que é uma das características da praia. Tem várias plaquinhas avisando das pousadas e dos restaurantes, o mais famoso deles é o Bora Bora, e dizem ser o mais caro também. Nas entradas de cada local sempre tem um porteiro, ele abre a cancela e você segue por uma estradinha de areia, anda uns cinco dez minutos e thãn… chegou no paraíso! 

No dia que eu fui essa barraca Bora Bora tava fechada para confraternização dos funcionários, então fiquei em outra. E foi até bom, porque o rapaz com quem fiz um passeio falou que essa que fiquei é uma das mais baratas. Ai gente, não lembro o nome, preciso aprender a anotar os nomes das coisas!

Na chegada já te abordam oferecendo o passeio que tem lá, que é para o banho de argila, piscinas naturais e para visitar a igrejinha que tem na beira da praia. Tava com o marido e optamos por não fazer. Esse pessoal que oferece o passeio quando você chega, normalmente cobram mais caro porque é de lancha, mas no catamarã é R$35,00 por pessoa, e tem outro pessoal que também faz com um barquinho e cobram normalmente R$25,00 por pessoa. 

Além desse passeio, tem umas carroças decoradas que circulam pela praia como uma especie de táxi. Você paga um valor, e eles te levam para a igrejinha e para as piscinas naturais. Pagamos R$15,00 por pessoa.

Apesar de ser um local mais reservado, a estrutura das barracas de praia são bem boas. O atendimento é bom, a comida é boa, e por incrível que pareca não é muito cara. Gostei bastante da barraca que ficamos, o local tinha uma vista maravilhosa para a praia.


Barraquinha com roupas de praia para vender.
Eu fiquei encantada com esse lugar, não parava de tirar fotos! Gente, o que é a cor dessa água? Transparente e quentinha, uma delicia! Da vontade de passar o dia inteiro dentro dessas piscinas.
Piscinas Naturais
Essa igrejinha é um charme, chama Capela de São Benedito, e atualmente é usada somente para casamentos. Já pensou casar em um lugar desses? O rapaz que levou a gente até lá, disse que custa doze mil reais para casar nela.
Quando chegamos a maré tava bem seca, e quando fomos embora ela já estava bem cheia.

Dezembro é mês que muita gente tá férias, viaja, então tai uma boa opção, conhecer essa belezura! 

Espero que tenham gostado! bjs


Diário de Viagem: Vinã Indomita, Valparaíso, Vinã Del Mar – Chile

Oi gente! É, eu sei, o blog tá devagar quase parando. Essa semana eu meio que me dei férias, vi vários filmes que tava querendo, acordei bem tarde todos os dias, fui para a praia no meio da semana, enfim, relaxei um pouco, afinal é dezembro… e nesse mês as coisas andam mesmo um pouco mais devagar…
Mas, voltei, e vamos lá para mais um post do Diário de viagem. Parecem intermináveis, mas não queria fazer um post só, sabe! São muitas fotos, coisas para contar, dicas… só Deus sabe o quanto eu amei achar posts desse tipo em alguns blogs, com dicas bestas, mas que são megas valiosas na hora de fazer uma viagem. 
Já aviso, o post tá gigante e com muitas fotos! rsrs
Escolhemos domingo para para o passeio a Valparaíso e Vina Del Mar. E foi até bom, porque domingo é um dia parado em Santiago, tudo fecha e não tem muito o que fazer.
Esse passeio pode ser feito de carro alugado, ou por agência, como foi o nosso caso. O pessoal da GeoTur pegou a gente no hotel cerca de 8:30 da manhã e nesse dia fomos em um ônibus. Tinha gente da Argentina, Bolívia e Brasil, na maioria brasileiros. O guia que nos acompanhou, dava explicações em português e espanhol. É um passeio de dia todo e inclui uma vinícola. Por indicação do guia na hora do passeio, escolhemos a Indomita. A passagem é bem rápida mesmo, para ser sincera eu nem entrei direito na vinícola. Parece que tem uma breve explicação sobre ela, e no final quem tiver interesse paga uma quantia para degustar alguns vinhos.

Agora a paisagem é incrível!

Seguimos viagem para Valparaíso, que é uma cidade portuária. Na chegada tem uma vista maravilhosa, e já é possível avistar as casinhas que ficam no alto dos “morros”, ao contrário do Brasil, não são favelas e não acontecem deslizamentos, por ser tudo rocha . Fiquei impressionada que o guia falou que as casas são super estruturadas, grandes, e é possível encontrar casas até de até quatro andares. Ao longo da cidade tem várias plaquinhas avisando para onde as pessoas devem evacuar em caso de terremoto. Porque existe o risco que ocorra.

Chegada ao Valparaíso
Como eu falei antes, “Valpo” é uma cidade portuária e passa uma impressão de ser mais bagunçada, caótica, pelo menos nos lugares que a gente passou. 
Fizemos várias paradas na cidade, inclusive na casa do escritor Plabo Neruda, que fica no alto e tem uma vista maravilhosa da cidade. Lá também tem lojinhas com artesanato e suvenir.
Depois de Valparaíso fomos para Vina Del Mar, cidade super bonita, bem cuidada, e com aquela vibe praiana, bem no estilo Miami Beach
Segundo o guia que estava com a gente, a prefeitura de Viña del Mar promove anualmente um concurso para incentivar o cuidado com o visual da cidade e preservação, onde a casa que cuidar melhor do seu jardim ganha um ano de luz ou água grátis. Achei super legal a iniciativa.
Chegando, fomos direto visitar o Relógio de Flores, um dos pontos turísticos da cidade.
Depois seguimos para a praia para ver os Leões Marinhos. Eu não aguentei de curiosidade e toquei na água. Gente, é muito gelada! O Chile é banhado pelo oceano pacifico, por isso a água é tão gelado.


Hora do almoço, comemos em um restaurante chamado Calfulafquen, não gostamos. A comida muito cara e sem graça.
Em seguida, hora de voltar para Santiago, mas antes uma paradinha no Museu Fonk  para ver o Moai del Ahu trazido da Ilha de Páscoa.

Resumo do dia: Ufa! É um passeio muito legal, porém super corrido. Você fica com a sensação que não viu as coisas direito. Recomendo alugar um carro, ou combinar com mais alguém e fechar com agencia um passeio mais exclusivo, e sem parar na vinícola. É muita coisa pra ver em tão pouco tempo.
Nesse dia ainda tivemos energia para ir para o pátio Bellavista! Eu queria muito comer no Restaurante Como Água Para Chocolate e aproveitamos esse dia para ir lá. Comida maravilhosa, ambiente bem legal, só é um pouco caro, mas vale muito a pena!
Gente, mais uma vez, protetor solar, protetor labial, e não esqueçam de levar um casaco! Nessa época do ano não faz muito frio, porém tem aquele ventinho gelado mesmo no sol.
Só tem mais um post do Chile, essa semana eu faço. bjs

Diário de Viagem: Valle Nevado, Restaurante Giratório – Chile

Segundo dia útil da viagem, acordamos bem cedo, pois o pessoal da agencia iria passar no hotel para nos pegar para o passeio do Valle Nevado. Como muitos sabem, nessa época do ano não tem mais neve, é outono no Chile. Porém o passeio na minha opinião vale a pena pela paisagem, que é sensacional. O caminho até o Valle Nevado que é a ultima estação de esqui, é demorado por ser muito alto e ter muitas curvas, são em torno de 60 curvas ao longo de todo o percurso. Eles falam que é muito perigoso, o percurso, e só recomedam para que tem muita experiência. 
Segundo o guia que nos acompanhou, em época de alta temporada com neve, eles levam até 6 horas para chegar. Portanto se você tem problemas com tonturas e enjoos, é recomendado tomar um remedinho antes de subir as montanhas. Eles aconselham mastigar a folha da coca, que é uma planta, no caminho encontramos até um senhor com uma barraquinha vendendo.
Lá em cima nessa época não tem muito o que fazer, só mesmo contemplar a vista, tirar fotos e tal… é mais atrativo quando tem neve, porque você pode esquiar, brincar na neve e etc. Tem restaurante no local e também lojinhas vendendo suvenir.
Não esqueça de levar um casaquinho, lá em cima venta muito, e o vento é bem frio. Outra dica importante, é não esquecer do protetor solar e labial. Por ser frio a gente tem a sensação que não tem sol, mas tem sim, e queima bastante. Eu passei protetor e mesmo assim fiquei bem vermelha, e com os lábios bem ressecados.

No caminho, parada para fotos…
Neve no topo das montanhas da Cordilheira…
Antes da viagem eu fiz muitas pesquisas, e fiquei sabendo que os restaurantes la em cima são muito caros. Então como estávamos com mais dos casais, decidimos todos fazer uma parada em uma das estações na volta e comer somente um lanche, e na volta para Santiago almoçar no restaurante Giratório. Eu não citei, mas ao longo do caminho tem outras estações de esqui, segundo o guia são mais baratas para esquiar, quanto mais alta for a estação, mais cara é…
Chegamos de volta a Santiago umas três e meia da tarde e fomos almoçar no Restaurante Giratório. Assim, eu tinha curiosidade de conhecer… mas não tem nada demais. A vista é legal, o ambiente é legal, a comida é muito boa, mas é isso. Sim, ele gira, bem lentinho, mas gira. kkk
Achei o preço dele parecido com alguns restaurantes mais caros aqui de Recife. Pagamos em torno de R$150,00 o casal
Nesse dia conhecemos o casal Leila (a loira) e Arthur do Rio de Janeiro, e o casal de amigos Rafael e Camila de São de Paulo, e não nos largamos mais. Fizemos todos os passeios juntos, foi maravilhoso!
Eu e o marido super bronzeados…

Depois do almoço fomos para o hotel de metrô, descansamos um pouco, e a noite fomos para o Pátio Bellavista… vou falar dele em outro post.

Aguardem, em breve tem mais… espero que estejam gostando!